Má Educação

7 out

Há algum tempo atrás, quando tive a “primeira vontade” de escrever um blog, pensei em falar sobre este assunto: a falta de educação de alguns indivíduos.

Ele teria o nome do título deste post, e lá – no blog em questão – comentaria sobre esta mazela que vem assolando a humanidade cada vez com mais afinco. É um tal de furar fila pra lá, escutar música no ônibus (sem fones de ouvido, obviamente) pra cá, e por aí vai.

Mas, em algum momento, pensei: “este assunto é muito limitado, uma hora não terei mais o que falar”, e desisti da ideia.

Pois eu estava enganada. Cada vez mais, eu me surpreendo com a incapacidade do ser humano em lidar com o trato social. Às vezes eu acho que algumas pessoas não passaram pelo processo civilizador de forma completa. E olha que ele já vem se gestando há séculos!

Penso que a falta de educação deve se constituir como o “mal do milênio”, porque nunca ví tanta  incivilidade – má criação mesmo, como se a gente tivesse ensinando a uma criança como ela deve se comportar – entre as pessoas como vejo hoje.

Bom, neste contexto, eis que surge a internet. Aqui, todo mundo pode falar o que pensa, dizer em que acredita, criticar, elogiar, ter liberdade e, tudo isso, com grandes chances de ter uma audiência bem maior do que se estivesse discursando em plena praça central. FREEDOM! Diria William Wallace. Ok. Concordo com tudo isso.

Mas aqui, mais do que nunca, as pessoas se sentem no direito de exercer a sua falta de educação. É aquela coisa: “não estou vendo o outro olho no olho, vou dar mesmo a minha opinião (frequentemente de forma maldosa) e quem tá na chuva é pra se molhar”.

Interessante. À medida em que o progresso tecnológico vai tomando seu rumo, tenho a impressão de que involuímos como seres humanos. E como passamos cada vez mais tempo diante das máquinas, me parece que a bola de neve só aumenta.

Daqui há algum tempo, estaremos abordando as pessoas na rua e perguntando porque fulano saiu com tal roupa e penteado na rua, já que está ridículo agredindo nossos olhos de tal forma. Talvez vocês dirão que estou sendo fatalista e radical.

Pois bem. Suponhamos que o indivíduo tivesse perguntado se ele estava bem com aquele visual. Eu, que nunca ví a criatura, poderia dizer: “Nossa, vai aprender a se vestir. Tá bem ridículo.” Ou: “Querido, olha, a ideia até foi boa, mas ficou bem feio. Tu parece um cão sarnento e faminto” (Adoro esse. Começa bem, mas depois o veneninho escoooooooorre). Ou ainda: “Olha, se queres mesmo a minha opinião, talvez se tu mudasse a blusa, ficaria mais harmonioso”.

BEM diferente né? Pois é só uma questão de educação – ou de falta desta. É claro que se tu já conheces a pessoa e tens mais intimidade com ela, essas variações são mais fluidas. Mas ainda assim, não vão dar uma de “bonita” e dizer para a melhor amiga que ela parece a noiva do Frankenstein, tá?

Sejam mais corteses. Mais educados. Mais CIVILIZADOS. Do contrário, vão pensar que a humanidade ainda se encontra na Idade da Pedra Lascada. Porque até os sucessores destes já estavam no estágio da Pedra Polida.

Beijocas

Anúncios

54 Respostas to “Má Educação”

  1. Tati outubro 7, 2010 às 10:09 #

    Infelizmente essa é a realidade, e estamos expostos a isso a todo momento e em qualquer lugar. E a internet se tornou um espaço em que as pessoas acreditam que são mais livres ainda para atestar sua falta de educação e seus preconceitos. Preocupante, amiga. Muito preocupante…

    • Ana Luiza outubro 7, 2010 às 10:50 #

      É bem isso Tati. E tem outra: temos que ter em vista que liberdade não é sinônimo de falta de respeito…
      Beijos

  2. Carol outubro 7, 2010 às 10:13 #

    Acho que você resume bem, Ana: tem gente que não passou direito pelo processo civilizador (um salve para Norbert Elias, rs).
    A ‘identidade secreta’ que a internet possibilita faz com que toda a maldade e sujeira que muita gente tem se exacerbe sem medo de ser feliz, rs. Esquecem-se que quem lÊ do outro lado é também humano e merece o respeito que, muitas vezes, a pessoa não tem para si.

    • Ana Luiza outubro 7, 2010 às 10:53 #

      Norbert Elias é O cara. hehe
      Mas é isso, Cá. Todo mundo tem sentimentos. E como já diria o meu namorado, falando sobre mim: “ela é mais sentimental que eu”. =*

      • Eduardo outubro 7, 2010 às 16:58 #

        Quem disse isso foi o Rodrigo Amarante… eu só citei, cantarolando! ;]

      • Ana Luiza outubro 7, 2010 às 17:01 #

        Dã. Todo mundo entendeu. 😛

  3. Thaís outubro 7, 2010 às 10:19 #

    Humm, temos aí uma discussão interessante… Ainda espero assistir um debate ou mesa-redonda (mas redonda mesmo, com interação) com profissionais que se disponibilizem a pensar a questão da má educação um pouco mais a fundo. Tipo: será somente uma questão de má criação, a educação repassada no núcleo familiar mesmo? Ou uma questão de personalidade? Ou ainda, uma mistura destas, onde genes e circunstâncias moldam seres nunca apresentados ao significado da palavra ética? Bem, divagações e imaginações (extreeemamente férteis) à parte, espero um dia ver esse assunto levado à sério. Ainda que isso seja mais uma daquelas perguntas sem resposta (minha especialidade). Adorei o post.

    Beijo

    • Ana Luiza outubro 7, 2010 às 10:56 #

      Muitas divagações e poucas respostas fazem “parte do nosso show”, né Thais? huahuahua
      Estou de acordo quanto ao assunto ser levado a sério. Porque realmente é algo que vem me preocupando há tempos…
      Fico feliz que tenhas gostado do post.
      Beijocas

  4. Liliane Nunes outubro 7, 2010 às 10:31 #

    Assim como a amiga aí de cima, gostaria muito de ver esse assunto em um detabate ou levado a uma mesa redonda. Mas gostaria de ver pessoas do nosso cotidiano, as duas partes, e tentar entender o porque de tanta falta de educação. Claro que um bom psicólogo conduzira bem esse assunto.
    Quando você falou sobre as pessoas que ouvem musica no transporte publico sem fone de ouvido me veio logo uma lembrança. Dia desses acabei até discutindo com um sujeito no ônibus por conta disso. Viajo muito e de ônibus sim. O motorista para no meio da viajem já com o ônibus cheio e recolhe um sujeito que viaja em pé ao meu lado ouvindo funk a toda autura. Pedi que ele desligasse ou usasse um fone de ouvido (pois eu tentava dormir) e ele ainda achou que estivesse na razão. Independente de que tinha razão. Conheço meus direitos e brigo por eles. Bom… acabou tudo bem e por sorte tinha metaleiros no busão rs
    Beijos querida!

    • Ana Luiza outubro 7, 2010 às 11:00 #

      Mas é claro que tinhas razão, Lili! Isso é uma “puta falta de sacanagem” com o perdão da piada. Parece que as pessoas não se dão conta que os demais não querem ouvir sua música. E mesmo que fosse algo agradável aos ouvidos, não usar fones é o fim, né?
      Sério, parece que tem gente que não pensa. Ou não quer pensar, o que é mais fácil e, ao mesmo tempo, condenável.
      Beijão

  5. Amanda outubro 7, 2010 às 11:00 #

    Concordo com você, educação é tudo.

    • Ana Luiza outubro 7, 2010 às 11:04 #

      Como diz o meu irmão, “não precisa ter medo. É só ter respeito”. hehe Desculpe pela brincadeira, mas isso é bem verdade…
      Beijos

  6. Helen outubro 7, 2010 às 11:35 #

    Acho que além de má educação, existe sentimentos que afloram nas pessoas, com ou sem educação, que é inveja!

    • Ana Luiza outubro 7, 2010 às 11:50 #

      Não acho que seja inveja, Helen. Na maioria das vezes, é só a mais pura falta do que fazer. hehe
      Beijão, linda!

  7. Jeniffer Mayara Prado Pereira outubro 7, 2010 às 11:47 #

    Uauu!! Parabéns Ana pelo post.
    Você tem razão mesmo a falta de educação está em alta ultimamente, infelizmente.
    Nossa se tem uma coisa que eu odeio é esse negócio de ouvir música ALTA no ônibus, como se todos quisessem ouvir a mesma música, e detalhe geralmente a música é de muito mau gosto. Já pensei em colocar um ‘folheto’ no ônibus e tudo mais. Uma vez me contaram que um cara estava lendo no ônibus, vazio, e um cara entrou e colocou o som ALTO e ainda sentou bem perto do tal leitor, e o mesmo por sua vez, sentou-se ao lado da pessoa e começou a ler alto, para o outro se tocar, e claro, ficar constrangido. Amei essa história, cara folgado, senta bem do lado, é sacanagem né poxa!!!
    Bjooos, Parabéns pelo blog.

    • Ana Luiza outubro 7, 2010 às 11:54 #

      huahuahuahua
      Curti horrores a história! Se eu tiver coragem, farei isso da próxima vez…
      Só um adendo: por que será que essas pessoas mal educadas SEMPRE tem péssimo gosto para música? (ironia mode on) 😛
      Beijos

  8. Cami Vitoriano outubro 7, 2010 às 12:03 #

    Ana,
    acho que o problema maior aqui, talvez nem seja a falta de educação em si… mas sim de pessoas covardes que se escondem atrás de um computador, e de repente se sentem no direito de espinafrar e soltar suas “verdades”, doa a quem doer.
    Tenho horror a pessoas assim, donas da verdade e da razão.
    Seu blog é muito bom, já o adicionei aos meus favoritos. Não ligue para esses comentários infelizes, pois como se diz: “ninguém chuta cachorro morto”.
    Beijos

    • Ana Luiza outubro 7, 2010 às 12:33 #

      Obrigada, Cami! As minhas leitoras costumam ser muito educadas, com algumas exceções, obviamente.
      Mas tenho visto e ouvido coisas terríveis, que afetam a integridade das pessoas, sabe? É o fim dos tempos…
      Beijão!

  9. Nani outubro 7, 2010 às 12:25 #

    Poxa, nem me fale em má educação… ontem eu estava sozinha em casa, toda largadade camizolão de vovó, meus pais dando aula e meu namorado na faculdade, quando meus cachorros começaram a latir desesperadamente… eu chego no quintal pronta para espantar um gato do muro ou algo assim quando me deparo com nada menos do que um cara deitado no telhado, animadamente falando no celular! primeiro fiquei meio apavorada, mas aí ele virou para mim com a maior naturalidade: ” oi! moro na casa aki do lado XD”
    !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    então tah, e por isso você pode ficra no meu telhado, que aliás dá vista para DENTRO do meu quarto, amigo??
    agora to achando graça, mas na hora quase morri de susto! totalmente sem noção!
    hauahuhau…

  10. Nani outubro 7, 2010 às 12:33 #

    …. outra coisa que achei engraçada é o que você falou sobre não falar para a melhor amiga que ela é a noiva do Frankenstein… porque minha mãe tem o hábito de fazer isso com as pessoas bem próximas… -_-‘
    as frases mais comum da minha adolescência foram coisas como ” isso tah HORRÍVEL em você”, “a sua cara está com tanta espinha que parece um choquito”, e a mais ilustre, ” você está parecendo Marvim, o Marciano de saia e all star” XD
    até hoje ela faz isso… mas sei lá, agora sem as crises existenciais da adolescência, nem me incomodo mais, isso é da personalidade dela mesmo, até quando ela não quer ela diz as coisas da pior forma possível XD
    huahuahuahua

    • Ana Luiza outubro 7, 2010 às 12:41 #

      Olha, essa coisa de fazer parte da personalidade é meio complicado, porque frases ditas dessa forma MACHUCAM. Ainda mais uma adolescente, cheia de dúvidas e inseguranças. Não é muito legal…
      Espero que a tua mãe ainda se dê conta disso! Se não, levar na brincadeira é o melhor jeito mesmo. Fazer o que? 😀
      Beijos

      • Nani outubro 7, 2010 às 13:33 #

        ah é, com certeza, eu acho que ela podia não ter dito muuuita coisa, ou ter dito de forma diferente, quando eu era mais nova… mas eu quero dizer é que quando ela vem com um comentário exessivamente franco HOJE, eu faço “mimimimimi, fala com a vaquinha mããeee!”, e não fico mais ofendida, porque sei que não é por mal…
        e sei lá, acho que deve-se levar em conta personalidade sim, porque todo mundo tem defeitos… sim, eu sei que isso não pode ser desculpa para tudo, se não a convivência social fica impraticável, mas(pelo menos eu acho, mas pode ser por convivência rs) é menos pior a verdade nua e crua que, por mais que machuque, não intenção de machucar, mas de mostrar à pessoa que não se está achando legal determinada coisa que ela fez, do que mentiras ou indiretas maliciosas…

      • Ana Luiza outubro 7, 2010 às 13:42 #

        Ah, isso é verdade, afinal, trata-se de pessoas próximas, e não de desconhecidos, né? Tem intimidade para falar. Mas minha mãe já fez dessas tb. Só que eu cortei o mal pela raiz. É bem essa: fala com a minha mão. hahahahahah
        Beojos

  11. *Dani* Marques outubro 7, 2010 às 13:27 #

    Muito Bom o post Ana, concordo com tudo, realmente existem algumas pessoas que parecem terem perdido o senso do que é certo e do que é errado, do que é ser educado e o que é ser mal educado, eu escuto histórias no twitter de donas de blogs e fico me perguntando o que a pessoa ganha fazendo esse tipo de coisa??? Será que isso faz bem pra essas pessoas??? Pq se isso faz bem, tá na hora delas reverem seus conceitos…. e claro, não só com donos de blogs esse tipo de coisa acontece, é geral mesmo… e a história de música alta no ônibus.. só por Deus néh… e é verdade as músicas são sempre as piores possíveis…. só espero que as pessoas caiam na real e se toquem que ser educado vale muito mais a pena!!!

    • Ana Luiza outubro 7, 2010 às 13:47 #

      Sério, eu me estresso muito com gente mal educada. Certamente é a coisa que mais me tira do sério. Por que será que tem tanta gente assim? E cada vez mais… Ai, ai, ai. Educação é bom e faz bem para os dentes! huahuahua
      Beijos

  12. day trevisan outubro 7, 2010 às 14:09 #

    Se o tema da redação desse ano no vestibular for “educação” eu vou usar seu texto como base, suahsuahsiuasa;

    mas é complicado, né?
    eu me abstraio desse tipo de coisa. Principalmente quando a afronta vem de pessoas que não me conhecem bem, e criam um “pré-conceito”, é patético esse povinho que entra no blog e fica criticando. Não gosta do seu estilo? então por que acessa seu blog e ainda se dá ao trabalho de fazer comentários?
    Mas você é uma lady, e além de arrasar nos looks, arrasa no quesito educação! saudhusiahdiuhasd

    • Ana Luiza outubro 7, 2010 às 14:37 #

      Não use meu texto! O pessoal dos vestibulares não costumam gostar muito deles… heheheheheh

      Então, tem gente que entra (não estou falando exclusivamente do Múltiplos, mas de outros blogs) só para criticar. Nunca comentam se gostam de algo, é só para pentelhar mesmo.
      Ou vai ver odeiam tudo, e comentam só de vez em quando. Agora, se não gosta de nada, é como disseste: acha algo mais interessante para fazer, pô. 😛
      Ah, e obrigada pelo elogio. =*

  13. Gabi Pontin outubro 7, 2010 às 15:09 #

    Nossa Ana concordo totalmete com você, na internet a pessoa acha que pode falar o que bem entende e não pensa que pode estar ferindo os sentimentos de outra pessoa. Ou é essa a intenção? A Falta de educação está em todo lugar, ainda mais se você dá aula para adolescentes heheh Gostei do post, você deveria escrever mais vezes. Abraços

    • Ana Luiza outubro 7, 2010 às 15:12 #

      Acho que a intenção é essa mesmo, Gabi. Ou a pessoa se expressa muito mal… hehe
      Nem me fala em ser professora. Tô fugindo da raia até onde der. hehehehehehe
      Beijão

  14. Letícia outubro 7, 2010 às 16:33 #

    Quando eu assisti aquela animação, Wall E, pensei que os autores tiveram uma ideia interessante a respeito de como seria o futuro. Vc assistiu? Lá aparecem pessoas que não se levantam mais das cadeiras, não sabem andar e conversam com os outros através de monitores, sem reparar que eles estão por perto.

    E, extrapolando um pouco, a gente percebe que está ficando assim, mesmo. Não se vê mais conversa de vizinhos, tratamento cordial entre estranhos… é cada vez mais difícil fazer amizade, pq as pessoas se fecham em círculos com ‘regras’ restritas e desprezam os outros. Nas cidades grandes, isso é ainda mais visível.

    Isso me chateia muito. Imagino que deva chatear ainda mais a vcs, que têm a iniciativa de se expôr na internet e ainda aguentam a má educação dos outros. Bom, mas a vantagem do virtual em relação ao real é essa: aqui, vcs podem se dar ao luxo de ignorar. O que aliás é a minha sugestão. 😉

    • Ana Luiza outubro 7, 2010 às 17:05 #

      Sim Letícia, eu ví WALL-E e adoro!

      Concordo contigo que está cada vez pior, em várias esferas. Sempre penso nessas coisas quando vejo falta de educação com idosos, cada vez mais constante nas grandes e pequenas cidades.

      Ignorar é bom, mas eu prefiro responder, com educação. Assim mamãe me ensinou. 😛 Mesmo que eu acabe sendo um pouco irônica nas respostas… heheheeheh

      Beijos

  15. Tomate outubro 7, 2010 às 16:50 #

    Eu sou da filosofia de que se o porto de armas fosse constitucional e possível como nos Estados Unidos, as pessoas teriam muito mais respeito. Eu gosto de pensar no Japão feudal. Esquecer de dar “bom dia” podia te custar a cabeça. Infelizmente, respeito vem atrelado aos valores morais e ao medo. Como a população, de maneira geral, já não tem valores morais, só resto a forma mais básica de impôr esse respeito: medo. Parece que é uma contradição, sugerir que o homem filosófico e educado apele para a violência para retorquir aquele que quebra o decoro, mas não é tão absurdo assim. Quem nunca deu umas palmadas, ou ameaçou dar umas palmadas, no filho que tava se comportando sem respeito? Não funcionou? Infelizmente, existem pessoas que não deixaram de ser crianças ainda, não possuem valores e não possuem respeito. A internet acelera e facilita o processo de perder o respeito, pois não existe, realmente, o medo de ter que olhar no olho e botar a cara a tapa. Eu duvido que alguém deixe de ter educação para com o outro se tiver o receio de ter sua cara esfregada no chão por causa disso. Infelizmente tá quase na hora de começar a viver pela espada de novo.

    • Ana Luiza outubro 7, 2010 às 17:09 #

      Retorno ao que diz meu irmão: não precisa ter medo, é só ter respeito.
      Agora, se esse respeito tiver que ser aprendido com uma pitada de terrorismo, que seja. Quem sabe até pode funcionar melhor. huahuahuahuahua

      Abração!

  16. Eduardo outubro 7, 2010 às 17:15 #

    Existe diferença entre falar pela internet e falar pessoalmente? Claro que existe, mas onde quero chegar é: o que tu diria na internet tu também diria pessoalmente? É uma boa forma de definir a ética online. Logo, ou a pessoa é mal educada nas duas situações ou… ela é covarde e só fala o que pensa (de verdade) protegida por quatro paredes…
    Nas duas situações a gente pode rir DELAS…

    • Ana Luiza outubro 7, 2010 às 17:23 #

      Como diria o antropólogo Albenzio Peixoto, “A educação online, é uma boa questão”. huahuahuahuahuahuahua 😛
      Mas concordo contigo quanto a ética. E foi isso que tentei mostrar no texto.
      Beijocas, mon chèr!

  17. Bianca Ladyhawke outubro 7, 2010 às 17:34 #

    Bah Ana, tu nem sabe o que me aconteceu ontem!! Eu desci com o meu cachorrinho na praça aqui da frente de casa (Coronel Pedro Osório, a da prefeitura) e um cara resolveu fazer xixi do meu lado, atrás de uma árvore!! Claro que eu não fiquei quieta e gritei pra ele que tinha banheiro público na praça, ele seguiu fazendo o que queria e disse que tinha ido ver e tava fechado, aí eu gritei de volta: “Mentira, só fecha as 10. É por isso que Pelotas tá desse jeito, por causa da falta de educação do povo.” E saí, furiosa. Onde já se viu uma coisa dessas? Eu não tenho que ficar olhando um cara fazendo xixi em plena praça, pelamordedels!!

    • Ana Luiza outubro 7, 2010 às 17:39 #

      Nossa, que situação constrangedora. Devia ser pra ele, mas pelo visto, o “beleuza” não tava nem aí… Sério, o apocalipse está chegando, pelamor!

  18. Litha Bacchi outubro 7, 2010 às 17:38 #

    Bem isso mesmo. As pessoas se acham no direito de dizer o que quiserem da meneira que quiserem, sem se preocupar com o sentimento dos outros. Uma coisa é dizer que não gosta de algo. “não gosto, por tal motivo”. outra é dizer que tal coisa é muito ridícula e só imbecis usam. Por aí vai.

    Cansei das pessoas ._.

    • Ana Luiza outubro 7, 2010 às 17:45 #

      Cansa, né Litha? O que mais me incomoda são aquelas “sutilezas” maldosinhas…
      Mas fico feliz que tenhas mantido o blog! 🙂
      Beijos

  19. Eduardo outubro 7, 2010 às 18:42 #

    Aninha, como tu constatou, acho que um blog sobre a falta de educação do povo seria um sucesso… afinal, todo mundo tem uma história pra contar – o que é triste!

    • Ana Luiza outubro 7, 2010 às 18:45 #

      Tu vês, e eu achando que era um assunto limitado… So sad…

  20. cecilia cle outubro 7, 2010 às 19:07 #

    Texto foda.

    Mas falta e educação é um saco mesmo.

    Mas acho q isso se resume apenas em algumas palavras, mesquinharia, babaquisse, inveja e o ócio.

    O problema é que as pessoas querem ser sempre mais que as outras e acabam cometendo vários absurdos por conta disso.

    O negocio e não prestar atenção nesse tipo de coisa, mas é dificil.. Haja maracujinha pra acalmar os nervos… kkkk

    :*

    • Ana Luiza outubro 7, 2010 às 19:14 #

      Pois é Cê, e eu não sou uma pessoa que poderíamos chamar de… Calma e serena. huahuahuahua
      Beijão

  21. Danniella outubro 7, 2010 às 23:36 #

    Li seu post cedinho hoje pelo RSS no e-mail, mas só agora pude passar aqui para comentar, Ana.

    Tenho comentado muito sobre isso com algumas pessoas ultimamente. Há um tempo reflito sobre esse processo de involução pelo qual a sociedade tem passado e estou ficando muito assustada, pois está avançando rapidamente e tem atingindo várias classes sociais e faixas etárias.
    Ou seja, os mais velhos, se um dia tiveram, parecem esquecer o que é ter educação e os mais novos… bom, os mais novos é até difícil comentar, pois sinceramente, é clichê mas é fato: essa geração está perdida.

    As pessoas estão emburrecendo, se alienando, se tornando selvagens, grosseiras, brutas mesmo.

    Como é difícil ouvir um por favor, um muito obrigado, hoje em dia. Fui criada (bem criada) com isso fazendo parte do dia a dia, então saem fácil da minha boca. Vejo que para as pessoas em geral, é muito difícil dizer essas palavras tão simples. Mas comentários ferinos, que diminuem e ofendem e palavrões, esses saem com muita facilidade, gratuitamente.
    É incrível, mas um número muito grande de pessoas SEMPRE encontra (inventa) algo para apontar em quem quer que seja e muitas vezes, fazem isso abertamente, usando de ironia e brincadeiras para tentar disfarçar a perversidade que move esse tipo de atitude.

    Enfim, isso é só parte do problema. Desculpe o comentário grande, parece até um post, mas me identifiquei com essa questão e deu vontade de desabafar, compartilhar minha opinião.

    Beijos,
    Danni

    • Ana Luiza outubro 8, 2010 às 8:56 #

      Danni, esse espaço é de vocês. Podem falar o que pensam – com educação, é claro 😛
      Vejo que essa é uma inquietação de várias pessoas, e como tu disseste, parece que aumenta ainda mais, e assola diferentes faixas etárias.
      Esse hábito de dizer por favor, obrigada, e outras palavras corteses está tão escasso, que quando olho no olho de alguém e agradeço a pessoa até acha estranho. Fica feliz, mas com aquele ar de estranhamento. Muito triste.

  22. Thais Moraes outubro 8, 2010 às 9:06 #

    Concordo com tudo, tudo, tudo Ana……atacar as pessoas via internet virou modinha entre as pessoas sem carater…..como vc disse, é mto facil visitar um blog, inventar um nome, um email e tecer comentários maldosos…infelizmente tem quem faça disso uma atividade rotineira, uma pena….caçar o que fazer e olhar p/ dentro de si mesma, é mais difícil….tô contigo, gata! =****, Tha.

    • Ana Luiza outubro 8, 2010 às 9:09 #

      Eu juro que não entendo o que se ganha com isso, mas… Enfim.
      Aqui até é light, mas como disse em alguns comentários acima, tem blogueiras que tem que escutar cada coisa… Que afetam sua integridade mesmo. Triste, muito triste.
      Beijocas, querida!

  23. Natalie Furlan outubro 8, 2010 às 9:15 #

    Nossa, como moradora de SP, e dependente de metrô, passo todos os dias por situações, que não sei como reagir! É um misto de emoções que vc sente, raiva, angustia, nervoso, desilusão, que não sei mais o que fazer…..
    Percebo que tem piorado cada vez mais, e isso vem vindo de geração a geração…..Cada vez piorando mais, cada dia mais insultos, nem sei mais se tem jeito de reverter viu?!
    Vc disse tudo em seu texto, parabéns!

    • Ana Luiza outubro 8, 2010 às 9:20 #

      Eu acho que nas grandes cidades a coisa se complica ainda mais. Não que nas pequenas as pessoa sejam mais educadas, longe disso, mas é mais gente convivendo no mesmo local. Daí, os problemas se agravam. E a lógica é a mesma na internet.
      Infelizmente, também não sei e tem jeito de reverter, Natalie…
      Beijos

  24. Adre Crespo outubro 8, 2010 às 16:02 #

    Pois é Ana, INCRÍVEL a tendência que as pessoas tem ao que é mal! E uma coisa mais impressionante ainda, que tenho percebido nos últimos tempos, é como as pessoas tendem a uma apatia, quase que automatica, com seres humanos recém conhecidos! E isso é triste!

    • Ana Luiza outubro 8, 2010 às 17:13 #

      Apatia é um outro mal que assola a humanidade… Quanta indiferença com o outro, né?
      Triste!

  25. Helô Helê outubro 8, 2010 às 17:08 #

    É por essas e outras que eu fui abandonando meus blogs e afins. O problema é que o problema não é só virtual. Todo dia esbarro com pelo menos uma dúzia da turma Fred Flintstone…

    Agora cá entre nós, o que mais adorei ler no post foi a minha “sonorização” mental. Tô ouvindo aqui sua vozinha com tu tens e tu conheces com o sotaque que eu mais adoro!

    =cD

    Bom feriado, guria!

    • Ana Luiza outubro 8, 2010 às 17:14 #

      Não é só virtual não, pelo contrário!
      E que bom que gostas do sotaque! huahuahuahua
      Beijão

Multiplique sua ideia conosco!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: