Afinal, para que serve a Moda?

21 fev

Acho que nunca comentei aqui, mas escrevo uma coluna mensal sobre Moda em uma revista de São Lourenço, a YAIH. 😉

Sempre busco, para além da exposição de tendências, refletir um pouco sobre o assunto, e, este mês, resolvi pensar em qual é a importância da Moda na minha vida.

O texto é bastante pessoal, mas talvez vocês também encontrem identificações com a história… Então, aí vai:

“Dia desses fui entrevistada por uma blogueira, a qual me fez a seguinte pergunta: Qual é a grande lição que a Moda tem para dar, a teu ver?

Na hora, fiquei um pouco atordoada com a questão, pois a complexidade dela me parecia algo como “de onde vem os bebês?” para uma criança em “fase curiosa”. 😛

No entanto, no segundo seguinte, após pensar um pouquinho na relação que venho desenvolvendo com o assunto, respondi, sem hesitar: Para mim, o ensinamento da Moda é a capacidade incessante de transformação, seja pessoal, ou mesmo, nas sociedades.

Sei que os mais céticos responderão: Mas como algo tão fútil pode ter esse poder?

Começaremos pelo âmbito mais “simples”, digamos assim, o individual. Esta parte do texto pode parecer um pouco – ou bastante – piegas, mas acredite, o objetivo aqui não é escrever um monólogo de autoajuda, e sim, contar uma experiência vivida que pode, obviamente, ser distinta para cada pessoa.

Portanto, pega a pipoca e acompanha a historinha. 😀

Era uma vez, uma garotinha ruiva. Ela ia para a escola de meinha rosa e sandálias. Todo mundo achava aquilo MUITO estranho. Mesmo suas amigas não a apoiavam. Diziam: “Puxa, Garotinha, não dava para usar nada menos esquisito não?” Ela ficava magoada, e, durante algum tempo, só usava roupas “normais” – ou seja, a “tendência escolar” do momento.

Mas, de vez em quando, ainda tentava combinações consideradas bizarras, pois assim ela se sentia mais… Ela.

Ok, hoje em dia é bonito ser nerd, geek, freak; wathever, mas nos anos 90, usar óculos já te tornava um E.T. Imagine isso acompanhado de meinhas rosa-pink.

A garotinha cresceu, e, aos poucos, ela foi percebendo que aquilo fazia, de fato, parte da sua identidade.

Deixou de ser uma guria tímida – ou talvez, nunca tivesse sido de fato, ela apenas estava procurando e experimentando seus “Múltiplos Eus” – e deixou a vergonha de lado na hora de se vestir. Usava apenas o que queria, independentemente da vontade de mídia ou dos colegas.

Hoje, ela se sente bem consigo mesma. Foi um caminho MUITO duro, mas ela sabe da importância daquele fator “fútil” na construção e transformação do seu Eu. ♥

E ela ainda quer falar muito mais sobre isso. Mas, para não cansar muito os preciosos olhinhos d@s leitor@s, terá que ficar para a próxima…”

Beijocas, e um ótimo feriado!!!!! ♥

Imagens: We Heart It.

Anúncios

17 Respostas to “Afinal, para que serve a Moda?”

  1. Jessica fevereiro 21, 2012 às 12:19 #

    Me identifiquei muito com o texto e gostei bastante dele, parece muito comigo!
    Adorei (:

    • Ana Luiza fevereiro 21, 2012 às 12:22 #

      Fico feliz que tenhas te identificado, Jessica!!!! Beijão!

  2. Wendyel fevereiro 21, 2012 às 13:35 #

    Adorei o texto, além de ser algo real tem parte de você ali.
    Eu também já passei por isso, até ano passado meio indiretamente, pois quem me criticava eram desconhecidos e meus amigos me aceitam como sou. Já tive amigas, que me criticavam pelo meu gosto por elas e os outros acharem estranho. E sei que isso dói.

    Participe do 1º sorteio do Tecido Doce:
    http://tecido-doce.blogspot.com/2012/01/pinches-vintage-sorteio.html

    • Ana Luiza fevereiro 21, 2012 às 13:49 #

      É verdade Wendyel, dói mesmo, mas a gente cresce e vê que tudo isso serve como conhecimento de sí, uma hora a gente se liberta e tudo fica mais fácil! 😉

  3. Camilla fevereiro 21, 2012 às 14:08 #

    Amei o teu texto, Ana! 🙂

    Beijinhos
    http://www.mademoiselleparis.com.br/

  4. karinabn fevereiro 21, 2012 às 18:49 #

    Lindo texto Ana, bom também acho que a parte boa da moda é a transformação, o exercício da criatividade. Antes não era ligada muito a moda, mas acho que passei a me conhecer melhor depois que comecei a ler sobre, visitar blogs e afins. Ela faz você se senti bem, bonita e até mais confiante por sabe quem eu realmente sou.

    • Ana Luiza fevereiro 21, 2012 às 19:19 #

      EXATAMENTE, Moda é auto-conhecimento! heheheheh 😉

  5. Lúu Novaski fevereiro 21, 2012 às 23:37 #

    Mto bom seu texto, acho q poucas pessoas realmente param pra pensar pra q serve moda.. tanto as q dizem q é futilidade, tanto mtas por aí q seguem as tendencias, sem saber como, onde e pq. A moda move o mundo, pena q pouca gente da valor a isso. Já pensou o q seria do Design, Arquitetura e tantas outras áreas sem “moda”? No filme “O Diabo veste prada” tem uma cena que a Miranda diz o seguinte pra And, qnd ela ri pq acha normal não ver diferença entre dois cintos em tonalidades de azul pouco diferentes: “você, que se leva tão a sério e acha graça no que eu digo, quando escolheu esse suéter no seu armário, hoje de manhã, não percebeu que ele não é azul turquesa ou royal, é azul celúreo. Em 2002, Oscar de la Renta usou azul celúreo em sua coleção e, logo depois, Yves Saint Laurent também fez modelos desse mesmo azul. Essa cor foi trazida, aos milhões, para essas terríveis lojas de departamento que colocaram esse suéter em liquidação. E você, que escolheu ficar fora da moda, está usando uma peça que foi escolhida por pessoas que estão nesta sala”. E eu me pergunto.. qnts outras coisas não apareceram nesse tom de Azul?? Mas infelizmente pouquíssimas pessoas sabem ou reconhecem isso.

    Desculpe a bíblia, acho q me empolguei no comentário hahaha}
    Bjss

    • Ana Luiza fevereiro 22, 2012 às 11:05 #

      Imagina Lúu, o testo está aí para discutirmos mesmo, expormos nossas opiniões…
      E essa frase da Miranda também me chamou muito a ateção no filme, de fato, a moda move o mundo, ainda mais se pensarmos nela como algo mais abrangente do que apenas a questão do vestuário!
      Adorei tuas observações, escreva sempre! 😉
      Beijos

  6. Fran fevereiro 22, 2012 às 16:56 #

    Ai que lindo!!! Foi como se visse no espelho. Você retratou primorosamente como muitas meninas assim como eu se sentem, perante algumas pessoas até nos dias de hoje. Como é bom saber que há pessoas que sabem que moda não é futilidade e sim, momentos de uma época registrados na história. Amei o texto, e amo seguir blogs de cabeças pensantes e adoraveis como você =)

    • Ana Luiza fevereiro 22, 2012 às 17:14 #

      Own, assim eu emociono, Fran!!!!! Apareça sempre, e venha contribuir sempre com a SUA cabeça pensante aqui no Múltiplos!!!!! =*

  7. Graziele Pacheco fevereiro 23, 2012 às 11:42 #

    Olá Ana!
    Seu blog está mais lindo a cada dia! Parabéns!!
    Essa blogueira que te entrevistou fui eu?? haha
    Adorei o texto.
    Bjos

    @Grazielepacheco

    • Ana Luiza fevereiro 23, 2012 às 11:57 #

      hahahah
      Foste tu sim, Grazi!!!!! 😉
      Beijocas

      • Anônimo agosto 23, 2014 às 14:20 #

        bom adorei esse site diversidade é tudo

Trackbacks/Pingbacks

  1. Afinal, para que serve a Moda – Parte 2 « - junho 9, 2012

    […] do post que fiz sobre a serventia do mundo fashion? Neste textinho, seguirei o raciocínio proposto: a […]

Multiplique sua ideia conosco!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: